Estudo prevê que 10% das interações entre clientes e bancos serão feitas em nuvem até 2015

Segundo executivos da EMC, Gartner e HP, computação em nuvem é caminho certo e sem volta para instituições financeiras

Estudo prevê que 10% das interações entre clientes e bancos serão feitas em nuvem até 2015

Publicada: 22/06/2012

Durante o Congresso Ciab Febraban 2012, executivos da EMC, Gartner e HP foram unânimes no discurso que a computação em nuvem é caminho certo e sem volta para instituições financeiras e que, até o final de 2015, ao menos 10% de todas as interações entre clientes e bancos serão realizadas indiretamente por meio de serviços e portais baseados em cloud computing.

Se por um lado as questões regulatórias e a preocupação com segurança e confiabilidade podem atrasar a velocidade do avanço na adoção de cloud computing, por outro, os executivos apontam o interesse em conseguir gerenciar e configurar os próprios serviços, bem como a interoperabilidade oferecida pela “nuvem”,flexibilidade e economia de custos, como fatores que devem estimular a adoção do modelo computacional.

Segundo o especialista da EMC na América Latina, Rodrigo Gazzaneo, “cloud computing é o primeiro passo para a transformação da TI” e “precisa ser uma ferramenta para que os especialistas em TI atuem como consultores de tecnologia para os profissionais de negócios", afirmou ele.

O diretor global de estratégia de cloud computing da HP, Azeem Mohamed, citou uma pesquisa sobre sistemas bancários e de tecnologia, que indica que 19% dos bancos já utilizam algum tipo de nuvem privada, enquanto 16% deles adotam cloud externa. Dos que ainda não utlizam, 28% consideram adotar o sistema em nuvem no curto prazo. Mohamed também apresenta dados de outro estudo, realizado pela McKinsey & Company, cujos resultados apontam que 75% dos executivos de negócios acreditam que a computação em nuvem pode trazer valor aos seus negócios.

Tags: Cloud Computing Computação em Nuvem Empresas


Audrey Bertho

Jornalista, apaixonada por todas as expressões da arte (com uma quedinha para a música) e antenada com o mundo tecnológico. Adora R.E.M, ipês amarelos, happy hours estendidos e ainda tem esperança no ser humano e em um mundo melhor.