Maior parte dos conteúdos digitais irão para cloud computing em 4 anos

A estimativa é de que, até 2016, mais de um terço dos conteúdos digitais de consumidores finais sejam guardados em nuvem

Maior parte dos conteúdos digitais irão para cloud computing em 4 anos

Publicada: 29/06/2012

Não são só as empresas, mas também os consumidores privados que já estão apostando com todas as forças nos serviços de Cloud Computing. De acordo com um relatório da Gartner, o desejo de partilhar conteúdos e poder aceder à informação, vídeos e fotos a partir de qualquer dispositivo vai fazer com que os utilizadores individuais transfiram cada vez mais conteúdo para serviços na “nuvem”.

A estimativa é de que, até 2016, mais de um terço dos conteúdos digitais de consumidores finais sejam guardados em nuvem. Ano passado, a percentagem dos que usavam a nuvem tecnológica não ultrapassava 7%.

A consultora afirmou, ainda, que as necessidades de armazenamento de dados vão crescer de 329 exabytes em 2011 para 4,1 zettabytes em 2016, incluindo já nestas contas dados armazenados em PCs, tablets, smartphones, discos rígidos, equipamentos de rede (como NAS) e repositórios na nuvem tecnológica.

O Facebook, por exemplo, que oferece serviço gratuito e ilimitado de armazenamento de imagens e vídeos, pode se beneficiar com a nuvem, que resolverá grande parte das necessidades de arquivo.

A Gartner admite que os consumidores vão começar a aderir progressivamente a serviços básicos de empresas que fazem backup na cloud, para evoluírem para uma experiência de “nuvem pessoal”.

Tags: Armazenamento Cloud Computing Computação em Nuvem Facebook Internet na Nuvem


Luana Costa

Jornalista, trabalha como Web Writer. Antenada no mundo da tecnologia, mas com um gosto cultural particularmente retrô. Usa a frase do autor norte-americano Bill Watterson - salve Calvin e Haroldo! - para se definir: "Pessoa simples, de gostos complexos."